Estrutura | Organização

CARTA AO COMITÊ ORGANIZADOR DO VII FSPA

 NOSSA ESTRUTURA, NOSSA FORMA DE ORGANIZAÇÃO

 Estimados companheiros e companheiras do Comitê Local de Macapá, coletivo organizador do VII Fórum Social Pan-Amazônico (FSPA), inicialmente queremos agradecer o empenho e a seriedade que cada um de vocês está demostrando na construção do VII FSPA.

 O objetivo desta carta é, a partir de algumas experiências acumuladas, dialogar com o Comitê local de Macapá, sem dúvida o grande responsável pelos caminhos que o evento VII FSPA seguirá, refletindo com estes companheiros e companheiras sobre a necessidade do fórum de 2014 continuar desenvolvendo seus processos, infraestrutural e metodologicamente; mas também desenvolvendo os aspectos relacionados a comunicação e a cultura; a logística e os aparatos de acolhimento e orientação dos participantes; as políticas públicas necessárias para o desenvolvimento deste evento; a organização e gestão de seus espaços, entre outras questões, encadeando ideias e práticas sustentadas em uma relação franca e fraterna.

Inicialmente queremos atentar para a imperiosa necessidade de nos organizarmos a partir de ações bem definidas. Aqui estamos nos referindo a delimitação clara de tarefas e responsabilidades entre três importantes coletivos envolvidos no processo organizativo e infraestrutural do VII FSPA: os movimentos sociais e os poderes públicos estadual e municipal.

Nesse sentido, construir um Comitê dos Movimentos sociais, outro que integre as Secretarias estaduais envolvidas, e outro que integre as Secretarias municipais, é condição fundamental para um bom andamento do processo. Porém, estes três comitês precisam implementar uma estrutura de enlace, onde o diálogo e a integração ocorra permanentemente.

Ao mesmo tempo que é necessário consolidar cada um dos comitês específicos (Movimento social, Prefeitura e Estado), garantindo formas de integração, mas também de autonomia e independência, sem interferências limitadoras, é necessário fortalecer os Grupos de Trabalho (GTs) que na prática pensarão e implementarão as políticas e ações necessárias para que o VII FSPA aconteça.

Logicamente, a denominação dos GTs não é dada a partir de uma convenção obrigatória, por isso as que aqui utilizaremos nem sempre são as adotadas. O importante é compreender que sem um processo de fortalecimento destes grupos, o avanço do evento também se dará com muito mais barreiras e dificuldades.

O GT Metodologia é responsável por realizar tarefas que vão refletir o formato do evento (formato metodológico). Entre estas estão:

– Realizar consultas prévias para a definição de eixos temáticos e consolidação dos resultados desta consulta para definir os principais eixos e espaços temáticos a serem explorados no evento;

– Pensar o processo de inscrição das atividades do FSPA;

– Discutir a abertura do espaço fórum para os diferentes tipos de atividades (autogestionadas, centralizadas, culturais, economia solidária, acampamento da juventude, etc.);

– Estimular à aglutinação das atividades autogestionadas;

– Acompanhar e estimular a realização dos encontros preparatórios;

– Fomentar o debate sobre o formato da abertura e do encerramento do fórum, com caráter de celebração e ação;

– Construir e planejar o Território Social Pan-Amazônico;

– Fazer o planejamento do tempo e do espaço no fórum para a realização de articulações entre as organizações;

– Definir a programação do evento FSPA;

– Organizar a metodologia dos grandes temas.

O GT Comunicação e Cultura do FSPA é norteado pelo Termo de Referência de Cultura, construído durante o processo de preparação do Fórum Social Mundial (FSM) de 2009, realizado em Belém. Este documento apresenta a questão da comunicação, cultura e política, de forma vinculada e intrínseca. Observa-se no referido documento:

O FSM [e consequentemente o FSPA, componente deste primeiro] deve desconstruir a lógica mercantil da Cultura dominante e valorizar as Culturas dos povos e suas expressões artísticas, na medida em que é nela que os valores e os direitos humanos são visibilizados, os novos signos são produzidos e incorporados, atuando como agentes efetivos de afirmação das identidades, da elevação da autoestima e, consequentemente,  das  transformações que permitam a experiência da emancipação dos diversos sujeitos, da defesa da biodiversidade e da sustentabilidade da vida do Planeta;

Que a Cultura assuma uma transversalidade em todas as iniciativas como busca de novas ferramentas informativas, dialógicas, educativas e sensibilizadoras de comunicação, essenciais para a expansão estratégica das mensagens que defendemos. É na interface entre Cultura – Comunicação – Política que as estratégias e as ferramentas transformadoras devem ser pensadas.

Neste sentido o GT de Cultura propõe o desafio […]: a construção de uma metodologia dialógica que estimule a articulação das tradições dos povos e das atividades artísticas com os seminários, palestras, depoimentos. Assim, esperamos que a apresentação dos objetivos, dos temas e discussões, sejam momentos de vivências, reflexões e partilhas criativas que se estendam para muito além do instante de realização do grande encontro […].

Todas as ações práticas realizadas pelo GT Comunicação e Cultura do VII FSPA devem ter como norteador conceitual os princípios e concepções expressas no termo de referência citado. A materialização das intenções e ambições deste fórum deve estar intimamente vinculada as reflexões contidas neste termo.

O GT Infraestrutura e logística é aquele que mais intensamente se articula com os poderes públicos estadual e municipal, mas também com setores da rede de empresas privadas locais, pois é neste grupo que são tratadas questões vinculadas aos espaços onde o evento será realizado; acomodação para grupos de participantes, em especial para os que não ficarão em hotéis ou hospedagens solidárias; infraestrutura viária e de locomoção para acesso ao território do FSPA; equipamentos de saúde, como postos, ambulância, socorristas, etc.; instalação da praça de alimentação, com preços populares; infraestrutura de som, iluminação, palco, entre outros, para os grandes eventos culturais; segurança pública (fora do território do fórum), etc. Tudo isto faz com que o GT Infraestrutura e logística seja um dos mais exigidos em relação as atividades que necessitamser desenvolvidas.

Além dos GTs citados, outro que pode ser criado é o GT Mobilização, com a tarefa especifica de mobilizar e motivar os diversos setores sociais para estar participando do VII FSPA.

Esses GTs terão, cada um, suas tarefas específicas, porém é necessário que seja pensada uma estrutura de integração entre os mesmos. Normalmente este momento é o da grande assembleia do Comitê local, onde cada grupo socializará seus avanços e dificuldades, e deliberará coletivamente as questões que precisam ser referendadas pelo conjunto de ativistas e organizações que estejam construindo o evento.

Tão importante quanto os GTs citados, está a forma como os recursos financeiros auferidos serão gerenciados. Nossa experiência no grande evento de 2009 (FSM na Amazônia) mostrou que constituir um consorcio de entidades para gerenciar os recursos é um ótimo encaminhamento, ficando cada uma das entidades, três no caso em questão, responsável por gerencia uma parte dos recursos conseguidos, assumindo também a tarefa de fazer uma permanente prestação de contas destes.

O Comitê de Articulação do FSPA avalia como tarefa fundamental contribuir na consolidação dos GTs em Macapá. Desta forma, assume o compromisso de estar somando com os companheiros e companheiras do Comitê de Organização Local,que já estão construindo o VII FSPA.

Um grande abraço a todos(as).

Belém (PA)/Brasil, 11 de fevereiro de 2014

Comitê de Articulação do FSPA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s